fbpx

Deepfake: quando a brincadeira não é tão inocente assim

A brincadeira da moda é a tal da Deepfake, que podemos explicar literalmente como “colocar palavras na boca de outra pessoa” através de imagens e vídeos.

Mas como isso acontece e quais os riscos de virar uma brincadeira de mau gosto?

Como funciona o deepfake

Na tradução literal, deep significa profundo e fake mentira, então o problema já começa por aí, quando percebemos que a brincadeira é fundamentada em uma “mentira profunda”.

Apesar de tudo ser baseado em tecnologia de inteligência artificial que parece coisa do futuro, criar uma deepfake é bastante fácil já que existem aplicativos gratuitos que oferecem resultados que, apesar de simples, podem enganar muita gente.

Veja só no vídeo abaixo um exemplo para entender melhor do que se trata:

Os riscos da brincadeira

Por vezes a brincadeira acontece com cenas e pessoas que podemos facilmente identificar não ser verdade. Você pode, por exemplo, pegar uma foto sua e colocar em uma cena de filme do Titanic, somente para se divertir e compartilhar com os amigos.

O grande problema é quando pessoas mal intencionadas pegam imagens de pessoas influentes na mídia ou até mesmo importantes do governo, para disseminar mensagens falsas internet afora. A partir desse momento, ficamos vulneráveis e podemos facilmente ser enganados.

Não é novidade que vivemos momentos delicados onde fake news se espalham por aí sem o menor pudor, por isso é necessário ficarmos ainda mais atentos para não nos deixarmos enganar pelas mensagens que recebemos. Ainda, é preciso conscientizar crianças e os mais velhos sobre essa tal de “brincadeira” para que eles também não caiam nessa com tanta facilidade.